Logo CEMFHIS Campo de Experimentação:<br>Michel Foucault e a História
GP/CNPq - UFRJ

Bem-vindx!

     Esta é a página do Grupo de Pesquisa Campo de Experimentação: Michel Foucault e a História.

     Este ambiente virtual tem como objetivo promover e facilitar o acesso de pesquisadores e estudantes à produção acadêmica e/ou docente realizada por nossos membros a partir das contribuções de Michel Foucault à História, bem como servir de espaço efetivo de trocas, debates e experimentações sobre seu fazer.


Buscar lugares outros

     A formação de "campos de experimentação" foi proposta por Marcel Detienne como forma de "comparar o incomparável": é a confrontação de pesquisas diversas em seus temas, objetos e abordagens que possibilita aproximações muitas vezes insuspeitas entre elas, permitindo iluminar não só suas semelhanças e diferenças, mas inclusive os lugares outros de sua realização. Estes são as heterotopias, que Foucault nos apresenta como lugares sem dúvida reais, mas que estão "fora de todos os lugares", e que funcionam como o espelho que, se no exato momento em que nos permite ver o lugar que ocupamos no espaço, só o faz por mostrar-nos na virtualidade irreal que é o reflexo. Nas heterotopias uma sociedade se vê representada, contestada e invertida.

     Ora, e por que não utilizarmos nossas pesquisas como potencializadores a fim de nos voltarmos para os lugares outros que perpassam nossas próprias existências? A partir deste questionamento o Campo de Experimentação: Michel Foucault e a História constitui-se cotidianamente como um espaço heterotópico (posto que existe, mas parece estar fora do lugar) e nos obriga a um exercício de pensamento. E "só se pensa quando se é forçado", como diria Deleuze. É neste espaço de estranhamento, pesquisa e experimentações diversas (teóricas, metodológicas, culturais e subjetivas) que nos encontramos, a partir e com as inquietações de Foucault.


Usos possíveis

     Gostaríamos que este espaço virtual pudesse de algum modo funcionar como algo mais que simples plataforma de divulgação dos trabalhos acadêmicos por nós produzidos. Afinal, para isto já existe uma rede bastante eficaz de enunciação, distribuição e controle de discursos - a Academia.

     Seria desejável que este espaço virtual fizesse chegar aos nossos visitantes convites ao estranhamento do que nos cerca, à curiosidade sobre nós mesmos, ao pensamento. Assim dizem os convites: "Venha só ou acompanhado. Traje de passeio, gala ou au naturel. Haverá buffet variado, desde que os convidados tragam toda a comida". Os convites, para que não reste dúvida, já estão dados.

     É absolutamente necessário que este espaço virtual funcione como potencializador daquele riso que Foucault nos descreve, "que perturba todas as familiaridades do pensamento" e que, ao perturbá-las, nos permite perceber que neste riso os risíveis somos nós, nossas ordenações naturalizadas, nossas verdades que cremos verdadeiras desde uma origem. Os produtos de nosso regime discursivo, perpassados pelo poder, e que ainda assim por vezes insistimos apelidar "apenas saber".

     Esta página é em si mesma uma experimentação, a das práticas possíveis de um pensamento que não se quer foucaultiano, mas a partir de Foucault.



Topo

Desenvolvido por Lucas Zelesco